***


OUÇA ABAIXO A MÚSICA DE CAMPANHA DA
DRA. JOSEANE
https://soundcloud.com/radio-coruja/jingle-da-campanha-da-dra-joseane

terça-feira, 16 de julho de 2013

DECISÃO JUDICIAL SUSPENDE OBRAS NA ORLA DE SÃO FÉLIX DO XINGÚ



Município aguarda que o Governo do Estado emita a Légua Patrimonial definitiva da área.

A juíza Gabriela Maria de Oliveira Franco, titular da Comarca de Tucumã e que responde por São Félix do Xingu, acatou uma Ação impetrada pelo comerciante José Wilson Alves Rodrigues proibindo a prefeitura municipal de demolir um muro construído na orla municipal. O muro foi levantado em frente ao rio Xingu, impedindo as obras de restauração da nova orla de São Félix do Xingu. Segundo a prefeitura da cidade, o muro foi construído de forma irregular, tirando a visão dos moradores da área e impedindo a continuidade das obras no local.   

Alegando abuso de poder por parte do Prefeito João Kleber, o comerciante ingressou na justiça com duas ações, uma de obrigação de não fazer e outra de interdito proibitório, ambas acatadas pela magistrada. Em contato com a reportagem de O Liberal, o prefeito de São Félix do Xingu, João Cleber, disse que o comerciante induziu a Juíza a erro ao tentar demonstrar ser o legítimo proprietário da área. “O município foi criado em dezembro de 1961, sendo que a sede ficou dentro da Reserva Florestal Gorotire”. Disse o gestor frisando que o município só teve sua Légua Patrimonial reconhecida, de forma precária, somente em maio de 2008.

Ainda de acordo com o prefeito, depois que foi assinado o Termo de Cessão de Uso de Bem Público, que não permitia a titularização a terceiros, um verdadeiro festival de falsos documentos foram expedidos e registrados no cartório local. “O comerciante José Wilson é um dos maiores especuladores imobiliários da área urbana de São Félix, com centenas de lotes distribuídos em várias glebas e que estão em seu nome, de sua esposa e das suas empresas”. Diz o prefeito alegando que toda a realidade jurídica das terras da sede do Município foram premeditadamente omitidas pelo comerciante.

Segundo João Kleber, A situação jurídica da légua patrimonial já está sendo resolvida, sendo que em breve o Governo do Pará irá expedir o titulo definitivo das terras. “Os posseiros de boa-fé podem ficar tranquilos pois todos os casos serão revistos um a um e o direito de todos será assegurado”. Finalizou Kleber.

 

7 comentários:

  1. É interessante como as pessoas querem ou tentam se locupletar com o que é público. No caso dos terrenos de São Félix um verdadeiro derrame de titulos foi feito, tanto no fim de governo do Denimar como no fim do governo Antonio Levino. E muita gente já ganhou dinheiro com isto.Veja o caso do Ze Wilson, dono muiiiiiiiiiiiitos lotes na cidade e que briga por um lote que é de interesse coletivo. Dos que moram e dos que visitam a cidade. Uma pena que a juíza tenha sido induzida a erro e embargado a DERRUBADA DO MURO DE BERLIM que so envergonha a nossa cidade.

    ResponderExcluir
  2. Se a juiza morasse na cidade talvez tivesse outra visão dos fatos. Infelizmente ela foi enganada e nos continuamos com essa aberração na frente da cidade.

    ResponderExcluir
  3. O prefeito joao cleber o maior grileiro de terra e terra de ferro de Daniel Dantas e Luís Pires pensa que vai agir na mesma forma com os pequenos agricultores a propriedade do Zé Wilson E legitima e o muro tem alvará de construção. Agora pergunta vocês conhecer a construtora Xingu uma lavagem de dinheiro com os bandidos que vieram do rio grande do norte

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Zé wilson vc tem os tittulos e o alvará de construcao

    ResponderExcluir
  5. Pra quem não sabe o prefeito João Cleber PPS responde a processo por compra de votos, seu vizinho prefeito de Tucumã Adelar Pelegrine PMDB o dodói do JADER BARBALHO. A AUDIÊNCIA DO CASO DO ADELAR FOI DIA 12/07/2013 EM TUCUMÃ.CADÊ A JUSTIÇA, HÁ ELA É CEGA.KKKK. UMA DICA SENHOR JORNALISTA APURE COMO ESTÃO ESTES PROCESSO ISSO É SE O SENHOR FOR IMPARCIAL,MAS SE FOR PARCIAL NÃO SE DER AO TRABALHO.

    ResponderExcluir
  6. Sugiro um furo para o senhor "Tucumã poderá ter nova eleição caso prefeito Adelar seja cassado por compra de votos" Tem um boi envolvido na doação e cerca de 500 litros de gasolina doados e em ambos os casos as doações não foram contabilizadas. Lembrando ao caro jornalista, tenha cuidado porque Adelar é o queridinho do Jader e do Helder.

    ResponderExcluir
  7. O ministerio publico federal ouvi recentemente o delegado federal e o agente no caso da compra de voto do joao cleber uma vez que o promotor de Sfx e amigo intimo do Renan Bala, pessoa esta que estava envolvida no processo, para.comprovar e só ir nos bares de Sfx, que todos verem os dois junto com o MPF já se cometa que o joao cleber não esta dormindo direito uma vez que já e uma figura conhecida desde de 1997 quando o mesmo foi matéria. do fantastico em virtude de roubos de caminhoes

    ResponderExcluir