***


OUÇA ABAIXO A MÚSICA DE CAMPANHA DA
DRA. JOSEANE
https://soundcloud.com/radio-coruja/jingle-da-campanha-da-dra-joseane

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

MINISTÉRIO PÚBLICO INVESTIGA IRREGULARIDADES NA SECRETARIA DE SAÚDE DE REDENÇÃO


Profissionais denunciam que jornada de trabalho foi reduzida e falta de combustível para ambulâncias.

Um grupo de enfermeiros e técnicos de enfermagem, lotados na prefeitura de Redenção, no sul do Pará, denunciaram na sexta-feira, 19, ao Ministério Público do Estado, as recentes medidas adotadas pela Secretaria Municipal de Saúde, que inclui, além da redução da jornada de trabalho, o corte nos salários dos enfermeiros e técnicos em enfermagem. A medida atinge também os médicos que atendem nos hospitais e postos de saúde da rede pública municipal.

Segundo os profissionais, a jornada de trabalho foi reduzida de 40 horas semanais para 20. Ainda de acordo os mesmos, essas medidas estariam causando grandes transtornos para funcionários e para à população da cidade. Integrantes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que também estiveram no Ministério Público, denunciaram que as equipes foram obrigadas a paralisar os serviços de atendimento, uma vez que além da redução da jornada de trabalho, as ambulâncias ficaram sem combustível.

Além da precariedade no atendimento na saúde pública de Redenção, a redução dos serviços prestados à população prejudicará o envio de verbas para o município, já que os recursos são repassados de acordo com os atendimentos efetuados. As medidas também contrariam as normas básicas de atendimento recomendadas pelo Ministério da Saúde, que exige a atuação de um enfermeiro durante 40 horas semanais nas unidades de saúde da família.

Com relação às denúncias de falta de combustível nas ambulâncias, o promotor Ítalo Costa, da Primeira Promotoria do Ministério Público notificou a Secretaria Municipal de Saúde cobrando providências. Já quanto à redução na carga horária e nos salários dos profissionais de saúde, o órgão deverá ser notificado nos próximos dias. O secretário de saúde de Redenção, Júnior Fernandes, não foi localizado pela reportagem de O Liberal para falar sobre as denúncias.


Nenhum comentário:

Postar um comentário